Buscar

Rio dos peixes

Piraí


O nome dado à cidade é uma referência ao Rio Piraí. A origem é indígena tupi que significa “rio dos peixes”. Apesar da referência indígena, não existe, no município fontes históricas que indique de maneira precisa a que tribo pertenciam os nativos da região. Algumas bibliografias mencionam índios Puris e Coroados.




Nossa quarta cidade tem sua datação entre os anos de 1770 e 1772, século XVIII, estipulado pelo momento de criação da capela de Santana do Piraí. Esse primeiro momento faz parte do movimento entre os estados do Rio de Janeiro e Minas Gerais feito através do Rio Paraíba. Neste processo, institucionalmente são deliberativas as datas de 1811, quando, pelo bispo D. José Caetano, recebeu a posição de freguesia curada, freguesia que é um agrupamento paroquial. Já em 1837, foi posto à categoria de Vila, passando a ser conhecida por Santana do Pirai. Por sua vez, em 17 de outubro de 1874 que foi elevada a condição de cidade.


No correr deste século a cidade também participara da economia do café, colhendo as benesses desse momento histórico nacional, seja na economia, na política e na cultura, como arquitetura; experimentando também a seu declínio.


Marcada pela arquitetura colonial do ciclo do café, permanece com os palacetes desse período, além das igrejas históricas. Entretanto, destaco, sobretudo, a exuberância do verde nessas terras, que cria um cenário de grande valor. Do ponto de vista de cultura imaterial, a cidade conta com um grupo de Jongueiro da Cachoeira de Arrozal, o qual foi fundado pelos troncos descendentes dos escravos da Fazenda da Cachoeira – jongo que é uma manifestação cultural brasileira de origem africana, marcado pela dança e pela música.


A cidade também promove o Projeto de Teatro Piraí em Cena que conta com a participação de crianças e adolescente no desenvolvimento e atuação de peças e esquetes teatrais. Por sua vez, tendo como um de seus marcadores culturais o cristianismo, como herança de todo esse processo histórico apresentado, a cidade possui uma identidade cristã bastante forte, chegando, no período natalino, a realizar o Natal Luz e Sonhos, onde são realizados oficinas de artesanato e de culinária, shows de música, dança, coral e teatro, tendo como um dos principais pontos de realização a escadaria da Igreja Matriz.


Por último, destaco o Arquivo Histórico de Piraí, pelo seu grande valor institucional e cultural para a cidade a para a região. Tendo sido criado no ano de 2000 com o intuito de preservar documentação dos três poderes do município, expandiu-se pela gama de documentação que passou a receber, chegando a ganhar uma biblioteca de apoio, tendo em 2013 criado, em parceria com a universidade púbica Unirio, o Centro de Memória, Preservação, Pesquisa e Digitalização de Documentos, onde conta com um acervo histórico que data de 1765 à atualidade. De grande valor à pesquisa histórica para a cidade, para a região e para todo o país, sobretudo devido à participação da cidade no ciclo do café e no período escravagista.


Bibliografia:

Prefeitura de Piraí. Disponível em: < https://www.pirai.rj.gov.br/ > . Acessado em: 27, março, 2021.

Piraí. IBGE. Disponível em: < https://cidades.ibge.gov.br/brasil/rj/pirai>. Acessado em: 27, março, 2021.

AZEVEDO, André Nunes de e ARAUJO, Valdinei Lopes. A História de Piraí. Rio de Janeiro: UERJ, 1997.


22 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo