Buscar

Princesinha do Vale

RESENDE

A primeira cidade do Vale do Café, também conhecida como a Princesinha do Vale, a capital fluminense do empreendedorismo e a capital da inovação, é a cidade mais antiga que aqui trataremos, com 219 anos. Com o 15° PIB do estado, é uma das cidades mais desenvolvidas da região, cotando com um amplo parque industrial dos setores de metal-mecânico e químico-farmacêutico.


Foto: Pedro Luz

História

As terras que hoje se convêm chamar de Resende eram habitadas inicialmente por indígenas Puris, que, em português, significa “gente tímida e mansa”. Esses eram nômades que viviam da caça, da pesca e da agricultura primária, de subsistência e de coleta, estando estabelecidos nas margens do Rio Paraíba ou na região alta da Serra da Mantiqueira.

Arquivo Histórico Municipal de Resende

Tais terras foram conhecidas pelos portugueses no período de exploração de ouro e diamantes entre os estados do Rio, São Paulo e Minas Gerais, ao longo do século XVIII. Inicialmente, o primeiro assentamento de portugueses foi feito pelo coronel paulista Simão da Cunha Gago, isto em 1744. Primeiramente acampara em uma das margens do Paraíba, mudando para o outro lado do rio não muito tempo depois, onde se denominou por Nossa Senhora da Conceição do Campo Alegre da Paraíba Nova, primeiro nome do que hoje se denomina por Resende. Já em 1801, devido ao conde de Resende ser o então Vice-Rei do Brasil, o povoado será elevado à categoria de Vila de Resende. A elevação à categoria de cidade aconteceu em 13 de julho de 1848, isto após a cidade já ter se estabelecido como produtora de café desde o inicio da década de 1840, quando começaram a construir os primeiros sobrados na então Vila de Resende – sua população, neste momento estava em cerca de 19 mil, entre sujeitos livres e escravizados.


Já com a proibição do tráfico de escravizados em 1850, ocorrera uma queda da rentabilidade sobre a produção do café, visto o crescimento da monetarização com os custos advindos dessa nova legislação, como o aumento do custo de alimentos. Duas décadas a frente, em 1870, as terras de Resende estarão exaustas devido ao seu intenso cultivo, passando a ser improdutiva. Em consequência a isso, se terá um êxodo para a região de Ribeirão preto e adjacências, no Oeste Paulista – por conta disso, ocorre uma queda populacional no final do século XIX na região. No entanto, Resende logo se tornará destaque na produção leiteira, isto porque, após este momento de êxodo, emigrantes mineiros se mudarão com seus gados para a região – neste momento, produzirá um terço de leite e será o segundo maior produtor de manteiga do estado do Rio.


Já no século XX, teremos uma maior e mais rica cidade. As primeiras indústrias chegam à cidade acompanhando o movimento do país de industrialização de Getúlio Vargas, na primeira metade do século. Ainda neste momento, em 1940, se terá a instituição da Academia Militar das Agulhas Negras na cidade.


Turismo

A região para o turismo conta com atrativos naturais, históricos e culturais, como igrejas centenárias, parques e reservas ambientais. Resende, devido a sua forte participação nos ciclos econômicos e culturais do estado do Rio e do Brasil, possui um amplo patrimônio histórico. São cerca de 63 imóveis, sobrados e casarões, que são tombados pelo Patrimônio Histórico Municipal. Dentre outros espaços, encontramos diversos pontos turísticos na cidade, dentre eles:

A Igreja Nosso senhor dos Passos, situada no Alto dos Passos. A igreja foi construída em 1827 em estilo neoclássico do século XIX;

A Igreja Matriz Nossa senhora da Conceição, que teve suas obras iniciada em 1812, sendo que, em 1945, sofreu um incêndio que deixou apenas as duas torres da antiga construção, sendo reconstruída em 1954 e consagrada como igreja matriz da cidade;

A Igreja Nossa Senhora do Rosário, por sua vez, fora construída entre 1825 e 1827, também seguindo o estilo neoclássico do século XIX.



Outro ponto turístico histórico é a Fazenda do Castelo. Construída em 1835 é uma antiga fazenda do período colonial do café que fica na entrada da cidade. De grande valor arquitetônico, é de grande extensão, possuindo 26 cômodos, jardins e uma escadaria de mármore de carrara e de azulejos azuis.


Entre os pontos turísticos naturais da cidade de Resende, encontramos a Vila da Fumaça, um dos distritos da cidade, a qual recebe esse nome em homenagem à cachoeira que tem no local. Sendo a maior cachoeira do estado do Rio, é tombada pelo Patrimônio Histórico e Paisagístico de Resende, estando situada dentro da unidade de conservação, o Parque Municipal Natural da Cachoeira da Fumaça. Não somente, a Vila da Fumaça conta com outra cachoeira, a cachoeira Água Branca, outro atrativo da região.


A AMAN, Academia Militar das Agulhas Negras, possui uma ampla dependência, contando com museus, teatros, escolas, um amplo complexo esportivo, hospital e escola. Aberto gratuitamente, de 9:30h às 16:00h para visitação guiada, requer um agendamento prévio. Fica sugerido a consulta ao site, sobretudo, porque o espaço requer o uso de vestimentas adequadas e para o seu agendamento.



O distrito de Visconde de Mauá é um dos pontos de visitação natural da região. Conta com belas paisagens de bosques, montanhas, cachoeiras e rios, além de possuir locais para a prática de esportes como voo livre, canoagem, trilhas, moutainboard e mountain bike. Além disso, possui uma rede hoteleira que dispõe de atrativos restaurantes de comida caseira. O distrito conta ainda com Cachoeira do Chuveiro, que tem acesso pela trilha que vai para a Pedra Selada, uma formação rochosa que fica no Parque Estadual da Pedra Selada, instalada em um parque estadual, o qual também é uma unidade de proteção; além da Cachoeira do Araçá. Encontra-se ainda três trilhas: a Trilha do Alto da Serra, a Trilha da Pedra da Gávea e a Trilha do Cruzeiro.


O Pico das Agulhas Negras, o quinto maior do Brasil, esta localizado no Parque Nacional de Itatiaia, é uma unidade de conservação que conta com um relevo de montanhas e elevações rochosas, possuindo também uma cachoeira acessível por trilha, a Cachoeira das Flores.

Outro ponto é Capelinha do Pirapetinga, a qual é uma área típica de pecuária leiteira. Conhecida por ciclistas e praticantes de voo livre, a área conta com dois pesque & pague que oferecem bares, restaurantes e chalés, com o Rancho Capelinha que oferece passeis a cavalo em suas trilhas, além da Igreja Nossa Senhora da Conceição Aparecida, fundada em 1876.


Além disso, a cidade conta com quatro feiras mensais. A Feira da Roça da Fumaça, que acontece todo primeiro domingo do mês, a Feira da Roça de Engenheiro Passos, também no primeiro domingo, a Feira da Roça da Vargem Grande, no quarto domingo e a Feira de Artesanato, na segunda sexta-feira do mês. A prefeitura possui ainda um calendário anual, que vai de exposições, festivais, concursos gastronômicos e festivais de arte que vale a pena conferir no site da prefeitura.


REFERÊNCIA:


História da Cidade. Prefeitura de Resende, 2021. Disponível em: <resende.rj.gov.br/historia>. Acessado em 08 de fev. 2021

SILVA, William Ribeiro. MEMÓRIA E CENTRALIDADE EM RESENDE Mercator, Fortaleza, v. 19, june 2020. ISSN 1984-2201. Disponível em: <http://www.mercator.ufc.br/mercator/article/view/e19014>. Acessado em: 20 feb. 2021.



42 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo